RELAÇÃO ENTRE TRAÇOS DE PERSONALIDADE DOS INDIVÍDUOS E USO DA INTERNET

September 3, 2017 | Autor: Ana Paiva | Categoria: Personality Psychology, Human Computer Interaction, Higher Education, Youth Use of Internet
Share Embed


Descrição do Produto

RELAÇÃO ENTRE TRAÇOS DE PERSONALIDADE DOS INDIVÍDUOS E USO DA INTERNET International Journal of Developmental and Educational Psychology/ INFAD Revista de Psicología, XXIII, 1 (5), 417-425, 2010

RELAÇÃO ENTRE TRAÇOS DE PERSONALIDADE DOS INDIVÍDUOS E USO DA INTERNET THE RELATIONSHIP BETWEEN INDIVIDUAL PERSONALITY TRAITS AND INTERNET USE Joana Mendes 1 Sandra Mendonça 2 Ana Paiva 3 1 Estudante de Licenciatura em Psicologia da Universidade do Algarve. Campus de Gambelas, 8005-139, Faro. [email protected] 2 Estudante de Licenciatura em Psicologia da Universidade do Algarve. Campus de Gambelas, 8005-139, Faro. [email protected] 3 Mestre em Comunicação Educacional Multimédia, Assistente na Universidade do Algarve, membro da equipa do Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC), Universidade do Algarve, Campus de Gambelas, 8005-139, Faro. [email protected]

1

RESUMO As características de conectividade e participação presentes no contexto sociocultural e tecnológico da Internet, têm desencadeado a emergência de comunidades humanas online, marcadas por novas necessidades e formas de interagir com as pessoas, a informação e o conhecimento. Tem-se verificado um crescendo na investigação empírica que relaciona o uso da Internet com aspectos da Personalidade (e.g., Guadagno, et al., 2006; Hills & Argyle, 2003). A presente investigação teve por objectivos (1) relacionar os traços de personalidade identificados na teoria dos cinco factores (McCrae & Costa, 1985) (Neuroticismo, Extroversão, Abertura à Experiência, Conscienciosidade e Amabilidade) com o uso de serviços e software da Internet, agrupados segundo as dimensões: social, informação, lazer e compras online, (2) analisar as diferenças encontradas nestas relações ao nível do género sexual. Foi construído e aplicado um questionário a 64 estudantes do 1.º ano do ensino universitário. Os resultados obtidos evidenciaram que (1) indivíduos mais neuróticos tendem a não realizar compras online; (2) os recursos de informação são mais frequentemente utilizados por indivíduos extrovertidos, conscienciosos e amáveis; (3) indivíduos do género masculino extrovertidos utilizam mais frequentemente redes sociais e serviços de comunicação; (4) os serviços de lazer são menos utilizados por indivíduos mais abertos à experiência. Palavras-chave: Uso da Internet, Traços de Personalidade, Teoria dos cinco factores, Género sexual. ABSTRACT Internet connectivity and participation has caused the emergence of online communities, characterized by new needs, and new ways to deal with information, knowledge and other individuals. A growing body of research has recently focused on the relationship between personality and internet use (e.g., Guadagno, et al., 2006; Hills & Argyle, 2003). The present study is aimed at: 1) exploring the relationship between personality dimensions (like Neuroticism, Extraversion, Openness, Conscientiousness and Agreeableness) and the use of internet services, whether they are linked to sociability, information, entertainment or business (e.g. online shopping). A questionnaire was administered to 64 undergraduate

2

students. Results show that: 1) neurotic participants are less likely to purchase online; 2) participants who score high on Extraversion, Conscientiousness and on Agreeableness, use more information services; 3) extraverted men use more social network and communication services; 4) participants who score high on Openness are less likely to use entertainment services. Keywords: Internet use, psychological traits, Big Five, gender.

INTRODUÇÃO Ao longo dos anos o estudo da personalidade tem sido uma constante na psicologia. Os traços de personalidade representam características relativamente estáveis que conferem individualidade bem como consistência ao longo do life span (Terracciano, et al., 2006). Estes têm sido relacionados com uma série de actividades e comportamentos humanos (e.g., liderança, performance no trabalho, comportamentos de risco, comportamento sexual) (Landers & Lounsbury, 2006). Tendo em conta essa intensidade de investigações emergiram várias teorias e modelos que pretendem explicar a personalidade e todos os processos que lhe são subjacentes. A teoria dos cinco factores de McCrae e Costa (1985) emergiu como uma teoria abrangente e com um vasto trabalho empírico na sua base (Landers & Lounsbury, 2006). Os autores identificaram cinco traços/factores de personalidade: Neuroticismo, Extroversão, Abertura à Experiência, Amabilidade e Conscienciosidade. O Neuroticismo relaciona-se com a instabilidade emocional, altos níveis predizem indivíduos ansiosos e inseguros. Indivíduos com altos níveis do traço Extroversão tendem a ser sociáveis, afectuosos e activos. A Abertura à Experiência caracteriza-se por atributos como imaginação, independência e gosto por variar. Altos níveis de Amabilidade englobam atributos como dócil, generoso e tolerante. Por último, no que se refere à Conscienciosidade, altos níveis abarcam características como organização, pontualidade e empenho (Guadagno, et al., 2007; Noftle & Shover, 2006; Wehrli, 2008). Um fenómeno mais recente prende-se com a universalização da Internet, tendo esta passado de uma rede confinada apenas às sociedades mais desenvolvidas tecnologicamente, para um serviço disponível até nos países economicamente mais carenciados. As características de conectividade e participação presentes no contexto sociocultural e

3

tecnológico da Internet, têm desencadeado a emergência de comunidades humanas online, marcadas por novas necessidades e formas de interagir com as pessoas, a informação e o conhecimento. Desta forma torna-se difícil pretender encontrar homogeneidade relativamente aos comportamentos dos utilizadores, isto é, dos indivíduos que utilizam os serviços que a Internet disponibiliza (Orchard & Fullwood, 2009).

Aspectos da Personalidade e Uso da Internet Uma das particularidades da Internet é permitir que os indivíduos sejam agentes activos, ou seja, que expressem as suas preferências nas condutas de uso e de criatividades que adoptam. Desta forma não espanta que venha a crescer o corpo teórico e empírico relativamente à relação entre o uso da Internet e os traços de personalidade do indivíduo (e.g., Amichai-Hamburger, 2002; Guadagno, et al., 2007; Hills & Argyle, 2003; Landers & Lounsbury, 2006; Nithya & Julius, 2007; Orchard & Fullwood, 2009). Diversas investigações têm demonstrado que os traços de Extroversão (Tosun & Lajunen, 2010; Wehrli, 2008), Abertura à Experiência (Herring et al., 2005; Huffakere & Calvert, 2005) e Neuroticismo (Amichai-Hamburger & Ben-Artzi, 2003; Wehrli, 2008) se relacionam positivamente com a utilização de serviços de dimensão Social (e.g., blogs, redes sociais, comunicação mediada por computador). A dimensão Lazer (e.g., jogos online) parece relacionar-se negativamente com os traços Conscienciosidade (Landers &Lounsbury, 2006) e Neuroticismo (Shih-Ping & Ching, 2008) enquanto que a Extroversão, a Abertura à Experiência e a Amabilidade se relacionam positivamente (Hamburger & Ben-Artzi, 2000; Shih-Ping & Ching, 2008). As investigações demonstram ainda que existe uma relação positiva entra a dimensão Informação/Académica e os traços Conscienciosidade (Landers & Lounsbury, 2006) e Amabilidade (Stickert et al., 2002). Tendo em conta as evidências supra explanadas a presente investigação debruça-se sobre a relação entre os traços de personalidade avançados pela teoria dos cinco factores e a utilização de serviços de Internet. De acordo com este objectivo geral foram desenvolvidos os seguintes objectivos específicos: (1) verificar se existe relação entre os traços de

4

personalidade apresentados na teoria dos cinco factores e a utilização de serviços da Internet, de dimensão Social, de Lazer e de Informação/Académica bem como serviços de Compras Online; (2) verificar se existem diferenças ao nível da relação entre os traços de personalidade do indivíduo a utilização da Internet em função do género sexual

MÉTODO

Participantes

Características sociodemográficas Os 64 estudantes universitários participantes na presente investigação eram todos alunos do 1.º Ano do 1.º ciclo de cursos de Licenciatura. Sendo que 38 frequentavam o curso de Psicologia e 26 o curso de Engenharia Informática, da Universidade do Algarve. A amostra obtida por conveniência é constituída por 32 participantes do sexo feminino e 32 participantes do sexo masculino, com uma média de idades de 20, 89 (DP= 5,337). Dos participantes, 42 são naturais do Algarve sendo os restantes de outras zonas do país, sendo na totalidade de nacionalidade Portuguesa. Relativamente às habilitações, 90,6% possui o 12º ano de escolaridade, 7,8 % já é detentor de uma Licenciatura, e 1,6% um curso Técnico-Profissional.

Características globais dos participantes como utilizadores da Internet Todos os indivíduos reportaram já ter utilizado computador e Internet. Apenas dois referiram não possuir ligação à Internet em casa. Na tabela 1 apresentam-se os dados relativos ao tempo e frequênca de uso da Internet, local de acesso, browser e motor de busca mais utilizados.

5

Tabela 1 Dados relativos ao uso da Internet

Tempo de utilização

Frequência

Local

Browser

Motor de busca

f

%

Entre 1-2 anos

1

1,6

Entre 2-5 anos

9

14,1

Mais de 5 anos

54

84,4

Entre 2-5 vezes por semana

1

1,6

Entre 4-6 vezes por semana

5

7,8

Todos os dias

58

90,6

Casa

56

87,5

Universidade

3

4,7

Trabalho

5

7,8

Internet Explorer

35

54,7

Mozilla Firefox

18

28,1

Outros

11

17,2

Google

63

98,4

Sapo

1

1,6

n=64

Instrumentos Para a presente investigação foi elaborado um questionário que se encontra dividido em três partes. Numa primeira parte, constituída por 14 questões baseadas em Paiva (2008) e Paiva (2002) de cariz fechado e aberto, pretendeu-se apurar os dados sociodemográficos dos participantes, assim como os seus hábitos relacionados com a utilização da Internet. A segunda parte do questionário integra uma escala constituída por 29 itens com a qual se pretende apurar os hábitos relacionados com a diversidade de utilização de algumas ferramentas e serviços que a Internet disponibiliza. Os participantes devem situar-se numa escala de tipo Likert de 1 (Nada Frequente) a 5 (Muito Frequente) para cada um dos serviços/ferrmentas que usam nos seus acessos. Para efeito de tratamento de dados, e baseado em investigações prévias de uso da Internet (e.g., Hamburger & Ben-Artzi, 2000; Landers & Lounsbury, 2006), os itens relativos às finalidades de uso da Internet foram agrupados em 3

6

dimensões. As dimensões construídas foram: Social (e.g., redes sociais, serviços de comunicação), Lazer (e.g., jogos Online) e Informação (e.g., Leitura de jornais/revistas, pesquisas temáticas e e-mail). Foi ainda utilizado o serviço Compras Online que parece poder agrupar-se em mais do que uma dimensão (i.e., os indivíduos podem comprar artigos que utilizam como forma de lazer ou de informação), pelo que foi relacionado individualmente. Na terceira parte foram medidas as diversas dimensões da personalidade através do Inventário de Personalidade NEO-FFI-20 de Bertoquini e Ribeiro (2006). No questionário constituído por 20 itens, os indivíduos devem situar-se numa escala de tipo Likert de cinco pontos. A consistência interna das respostas obtidas foi elevada, variando o alpha de Cronbach de .75 na subescala Amabilidade a .93 na subescala Neuroticismo (Bertoquini & Ribeiro, 2006).

Procedimento de Recolha de Dados A recolha de dados junto dos estudantes do curso de Psicologia ocorreu em duas sessões, em situação de sala de aula. O preenchimento dos questionários decorreu em situação colectiva e teve uma duração média de 15 minutos. Junto dos estudantes do curso de Engenharia Informática os questionarios foram respondidos em modalidade online. Foi sempre fornecida informação acerca dos objectivos do estudo, explicados os procedimentos e garantida a confidencialidade dos dados. Os dados foram recolhidos no final do 1.º semestre do ano lectivo de 2009/2010. Procedimento de Análise de Dados A presente investigação foi de natureza correlacional. Os dados recolhidos foram analisados com recurso ao SPSS (versão 16,0). Numa primeira etapa foram efectuadas análises descritivas, como forma de caracterizar a amostra relativamente ao sexo, idade e uso da Internet. Por fim foram efectuadas correlações bivariadas de Pearson tendo em conta os objectivos supra explanados. Os resultados foram analisados de acordo com a significância estatística que apresentam, bem como, segundo efeitos de magnitude, de acordo com os critérios sugeridos por Cohen1 (1988, 1992). 1

r=0,10 é pequeno (associação fraca); r=30 é médio (associação moderada); r=50 é grande (associação forte)

7

RESULTADOS Com o intuito de verificar as relações que existem entre os Traços de Personalidade e as dimensões Social, Lazer, Informação e Compras Online, recorreu-se a correlações bivariadas de Pearson (cf Tabela 2). Realizaram-se correlações bivariadas de Pearson de acordo com o género sexual dos indivíduos (cf Tabela 3). Tabela 2 Correlações de Pearson relativas às variáveis traços de personalidade, dimensões e serviços da Internet Dimensões

Traços de Personalidade

Serviço

Social

Lazer

Informação

Compras Online

Neuroticismo

.10

-.01

-.10

-.29*

Extroversão

.35**

.11

.49**

.22

Abertura à Experiência

.06

-.34**

.12

.04

Conscienciosidade

.15

-.05

.39**

.19

Amabilidade n=64 p
Lihat lebih banyak...

Comentários

Copyright © 2017 DADOSPDF Inc.